Se Eu Tivesse que Escolher… De Novo


Há alguns anos, escrevi:  A gente passa a vida escolhendo e mudando as escolhas. O que era bom ontem, hoje já não é mais. O que parecia inútil no passado, com o passar do tempo, ganha novos contornos. É assim com o amadurecimento da vida e das ideias.

Muitas coisas que pareciam importantes no passado, com o passar do tempo, acabam se tornando supérfluas e, até mesmo, inúteis.  Nos dias de hoje, se eu tivesse que escolher dentre várias dessas coisas, com certeza, muitas dessas escolhas seriam diferentes daquelas feitas há seis anos.

Não sou uma pessoa muito dada a predileções.  Ao menos, não por muito tempo. Existem determinadas preferências que, quando existentes, são sazonais.  Elas surgem por algum motivo, duram algum tempo e depois são substituídas. Tudo vai depender do meu estado de espírito, do momento que estou vivendo, das expectativas geradas dentro de um pequeno ciclo de vida.

Outras, contudo, são para sempre (ou quase sempre).  Ou parece que são para sempre. Meu filho é uma delas.  O amor que sinto por ele é para sempre.  Agora, música… É peculiar, não é?  Tem muito a ver com a época, com algum significado, com algo importante que vira uma lembrança.  Houve um tempo em que a minha música preferida era Só pro Meu Prazer, da banda Heróis da Resistência, que nem existe mais.   Hoje, apesar de ainda gostar muito dela, todo aquele significado ficou lá atrás.

Este post mesmo está sendo atualizado porque, em parte, está ultrapassado. E vai voltar a sê-lo, ao menos parcialmente, dentro de pouquíssimo tempo. Do momento em que escrevo até o dia em que o reler, alguma coisa já deverá ter mudado.  Eu me apaixono e desapaixono pelas coisas (não pelas pessoas, hein?) com facilidade e desprendimento. Para mim, nada é para sempre (agora, sim, nem as pessoas).  Com licença de Vinícius de Moraes, o amor… “que seja infinito enquanto dure” (tá escrito lá, no Soneto de Fidelidade). Mas isso já é outra história e não tem nada a ver com a proposta desse artigo.

Como eu disse daquela vez, existem coisas das quais sempre gostei.  Outras, de que aprendi a gostar, ou então, não gosto mais.  Algumas, eu modifiquei, porque mudei a mim mesma.  Às vezes a gente define do que gosta mais, às vezes, não.  Ou gosta, mas não sabe se é mais ou menos, ou não gosta, mas nem lembra se foi sempre assim.

Parece que, para mim, algumas preferências têm prazo de validade curto.  Sei que existem pessoas que são como eu: instáveis, inconstantes, mutáveis. Outras são mais fieis a seus gostos e não mudam.  Ok, está tudo certo.  Cada um é como é, ninguém é melhor ou pior por causa disso.  É só uma característica, nada demais… eu acho.  A menos que algum psiquiatra veja um distúrbio qualquer nisso daí.  Vai saber, né?

De qualquer forma, vou levar em conta esse momento e tentar relatar minhas preferências, tanto as novas, quanto as antigas. Vou fazer o seguinte: Tudo o que continuar igual, vou sinalizar com um asterisco (*).  E acrescentei muitas novidades também.  Coisas para as quais eu não ligava, mas que acabaram marcadas por algum episódio interessante.  Vamos ver como vai ficou.

Então, se, hoje, eu tivesse que escolher…

Um valor: HONESTIDADE

Um livro: MINHA BREVE HISTÓRIA, de Stephen Hawking

Um filme:  JOGOS VORAZES

Um lugar da natureza:  MAR*

Uma flor:  ONZE HORAS

Uma comida:  BATATA FRITA*

Um doce:  BOMBOM SONHO DE VALSA*

Uma bebida:  ÁGUA*

Uma cidade:  CABO FRIO*

Um esporte:  NATAÇÃO*

Uma palavra: POESIA

Um homem bonito: JOHNNY DEPP

Uma mulher bonita: GIOVANNA ANTONELLI

Um objetivo: LIBERDADE

Uma personalidade: STEPHEN HAWKING

Um hobby: FÍSICA QUÂNTICA E TEORIA DA RELATIVIDADE

Uma fruta:  ABACAXI*

Uma paisagem do Rio:  ATERRO DO FLAMENGO*

Uma música popular: A SONG FOR ALL LOVERS, de John Denver

Uma música clássica:  CLAIR DE LUNE, de Debussy*

Um animal:  GATO*

Um estado do Brasil: RIO GRANDE DO SUL

Um ator: CAIO BLAT

Uma atriz: IRENE RAVACHE

Um seriado de TV:  CRIMINAL MINDS*

Uma cor:  BRANCO

Um inseto: BORBOLETA

Uma novela: ALÉM DO TEMPO

Uma paixão:  ESCREVER

Um livro que escrevi:  VIRANDO O JOGO

Uma pessoa admirável: MINHA MÃE

Uma viagem fantástica: ORLANDO (EUA)

Um lindo lugar: BONITO (MS)

Uma lenda:  REI ARTUR*

Uma esperança:  PAZ*

Uma festividade: NATAL

Um prazer: AJUDAR

Um conto infantil:  PINÓQUIO*

Um desenho animado: O CAMINHO PARA EL DORADO*

Um cheiro:  CHUVA*

Uma coleção: SOUVENIRS 

Um poema:  TESTAMENTO, de Manuel Bandeira*

Uma cantora: MARISA MONTE*

Um cantor:  JOHN DENVER*

Uma banda: ABBA

Um amor:  MEU FILHO*


Comentando, você enriquece o texto e partilha sua opinião com os próximos leitores.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s