Abril/2014


A vida pode ser bonita ou feia, dependendo da direção em que você escolher olhar. Aproveite e faça a escolha certa.

Nada dói mais do que a indiferença. Não contribua com essa dor. Todo mundo tem o direito de saber o porquê da sua insatisfação. Agradando ou não, fale. O silêncio é mais doloroso do que a verdade. É como preencher um vazio com a sombra do desprezo.

 


Quando faltarem as palavras, não silencie. Sorria. Essa é uma linguagem universal. Todo mundo entende e fica feliz.

 


Aos nossos olhos, uma coisa pode ser bonita ou feia, dependendo da forma como olharmos para ela. Aquilo a que mais damos valor será o que mais força ganhará na vibração da nossa energia. Procure encontrar algo de belo na vida, pois a beleza está não nos olhos, mas no coração de quem vê.

 


Nem sempre a solidão é ruim. Há momentos em que é a melhor companhia, porque é na solidão e no silêncio que o espírito se aquieta e ouvimos a voz do coração. Outros momentos existem em que, mesmo rodeados de muitas pessoas, a tristeza invade nossa alma com a sensação de estarmos sós. Saber aproveitar cada um desses momentos é usar a inteligência com sabedoria, tirando da vida lições únicas que ela tem a nos oferecer.

 


A leitura é a maior oportunidade de escrever a própria vida com sabedoria, discernimento e amor. Não perca essa chance única de aprender. Quem não lê perde um pedaço do mundo.

 


Quem não dá o primeiro passo rumo à transformação própria permanece estagnado na mesmice e deixa para trás a oportunidade de ajudar a edificar um novo mundo. Não perca tempo. Movimente-se. Recicle o que não serve mais e transforme-o em algo novo na sua vida. Inicie a sua mudança.

 


Não brigue consigo quando estiver triste. Não minta para o seu coração, fingindo estar alegre e satisfeito. Não se engane, não tente se iludir. Diga a verdade. Você merece ser sincero com você mesmo. Somente quem sabe e assume o que sente está em condições de modificar o sentimento. Tristeza existe, não é invenção. Mas, como tudo que existe passa, ela há de passar também. Acredite, tenha esperança, confie. Saiba permanecer na tristeza até o momento de enfrentá-la. Tudo se enfrenta, tudo se vence quando se acredita e se quer. Depois que ela se for, você se sentirá mais aliviado, leve, livre. Mas isso só vai acontecer se você não se aprisionar na armadilha do orgulho, que gera medo e vergonha. Tristeza tem fim, mas quem resolve a hora de acabar com ela é você. Viva a sua tristeza, porque só morre aquilo que já viveu.

 


Todos os dias, animais são abandonados nas ruas. Pessoas que, empolgadas, compram os bichinhos, mas não dão conta de criá-los ou, quando querem viajar, livram-se do “estorvo”. Animais dão trabalho. Requerem atenção, cuidado, carinho. Sujam a casa, dão despesa, destroem as coisas. São levados, barulhentos e prendem. Mas são também amorosos, amigos, sinceros. Um animal é companheiro para toda a vida. Antes de comprar um bichinho, pergunte-se se está preparado. Ele vai depender de você sempre. Por isso, a sua responsabilidade é grande. Abandonar um animal é um ato que não passa despercebido por Deus e pela vida. Pior: não passa despercebido pela consciência. Cedo ou tarde, a sua consciência vai lhe cobrar essa atitude. Pense bem. Se não tem paciência nem quer abrir mão de nada na sua vida, não compre um animal. Você não é obrigado.

 

 


A natureza não fala, mas dá os seus sinais de revolta. Nada do que se faz passa impune pelas leis da vida. A Terra é rica e fértil, mas já não aguenta mais. Quanto mais maltratarmos o planeta, mais ele irá revidar. É a lei de causa e efeito, válida para todas as coisas. Quem planta destruição vai colher frutos destruídos. Vai destruir a si mesmo, porque ninguém vive sem o que a natureza oferece. Nenhum terremoto, furacão, enchente ou erupção vulcânica acontece por acaso. Nenhum raio despenca do céu por capricho das nuvens. Tudo é consequência de uma ação. Respeitar a natureza é a melhor maneira de gerar respostas saudáveis do mundo e preservar a vida.

 


Quem quiser manter-se bonito e jovem para sempre tem que investir num tratamento sério de beleza. Usar muita alegria, bom-humor, amorosidade e tudo que faz a alma sorrir. Essa receita é infalível. Mantém a vida mais longa, o coração mais limpo e o espírito mais iluminado.

 


Todo mundo tem o direito de errar. O único “ser” que não erra é Deus. Como ninguém é Deus (ainda), todos têm lá os seus erros. Não sinta vergonha, nem culpa, nem medo de errar. O bom do erro é que sempre há uma chance de tentar acertar, e o que importa é não perder essa oportunidade. Ela pode ser a última.


Não caia nas armadilhas do orgulho. Seja humilde, sincero, genuíno. O presunçoso engana a si mesmo, pensando ser mais do que realmente é. É inseguro e tenta dissimular sua insegurança diminuindo o valor do próximo. Mas só tem valor de verdade quem sabe reconhecer o valor do outro. Quem não sabe se envenena com a inveja, o despeito, o ciúme. Não se deixe enganar por essas ilusões criadas pelo orgulho. Satisfaça seu ego sendo o que realmente é.

 


Quem não perdoa os próprios erros tem dificuldade de assumir sua falibilidade. Culpa e remorso são coisas boas quando sinalizam a falha. Mas só servem para isso. Ao invés de insistir em não se perdoar, é melhor converter a culpa na atitude contrária àquela que a gerou. Só assim o orgulho se cala e o perdão liberta.

 


Quando escolhemos a paz, nada tem o poder de nos levar ao desequilíbrio. A paz é um atributo da alma que se reflete em tudo o que fazemos. Quando estamos em paz conosco, todas as coisas ao nosso redor favorecem a harmonia. Compreendemos melhor as dificuldades do mundo, aceitamos a imaturidade alheia e nos prontificamos a ajudar sempre.

 


Nunca e sempre são opostos relativos e expressam, em essência, a mesma coisa: tempo demais. E, como o tempo é uma ilusão, tem-se que nunca e sempre são ilusões também. Na vida, o que nunca acontece é o que não é fruto da nossa vontade, e o que é para sempre está constantemente mudando. Disso tudo, há apenas duas verdades: o mal nunca vence e o bem sempre dura.

 


Existe uma grande diferença entre o que a gente faz e o que a gente deveria fazer. Por exemplo: Se você vem no trânsito, dirigindo, e o carro da outra pista liga a seta, pedindo passagem, o que você faz? Acelera, para essa pessoa não entrar, ou cede a vez? Então, seja sincero com você mesmo: Aquilo que você faz é exatamente igual ao que você deveria fazer?

 


O bom da vida é saber que ela nunca termina. Só muda de estado: sai da densidade e entra na luz.

 


Quanto mais praticamos o bem, mais a vida nos favorece. O universo só compactua com coisas boas. O que é ruim, ele oferece à natureza, que se encarrega de destruir para nos incentivar a, no futuro, construirmos coisa melhor.

 


Amar a si mesmo não é egoísmo. É o princípio do conhecimento do que seja amar. Somente aquele que consegue ter amor por si próprio está em condições de distribuir amor. Afinal, ninguém dá o que não tem.

 


Não sinta inveja. Reconheça que também é capaz. Não tenha ódio. Transforme o que puder em amor. Não aja como se fosse o único no mundo. Aprenda a impor-se limites. Para ser feliz? Basta dar à vida o que daria a si mesmo.

 


O coração cheio de mágoas vive atordoado pela própria intransigência. Aquele que perdoa liberta-se do sofrimento e descobre a paz em si mesmo.

 


Para tudo na vida há um remédio infalível. Não precisa ser em gotas, nem em comprimidos, nem pomada. Dispensa receita, diagnóstico ou tratamento especial. Requer apenas um esforço único: fé. O melhor remédio é sempre a oração.

 


 

Verdade alguma ofende ou magoa. Num primeiro momento, pode até causar espanto, mas isso passa. O que machuca mesmo é a mentira que é fruto da covardia ou a que se disfarça de consideração. Descobrir-se enganado ou traído dói muito mais do que o choque da verdade. A verdade é luz que a vida mantém acesa. A mentira é sombra que a morte não dissipa. Não minta. Seja verdadeiro sempre e ilumine sua alma.

 


Quem nunca levou um tombo na vida não sabe o prazer que dá se levantar. E se não caiu, foi porque nunca se arriscou, e se não se arriscou, não viveu experiência alguma.

 


O maior enigma da vida é aprender a viver. Desvendá-lo requer apenas um conhecimento básico: amor. Esta é a chave que abre as portas onde se guardam os verdadeiros tesouros da humanidade.

 


Se for para escolher entre uma vantagem e sua dignidade, não hesite. Vantagens se perdem da mesma forma que se ganham. Mas quando se perde a dignidade, perde-se também o respeito, a autoestima e a paz interior. Essas são coisas verdadeiras e difíceis de se recuperar.

 


Todo amor merece respeito. Amar não exige fórmula nem regras. Quem ama não pede, não cobra, não prende. O amor é livre, sem exigências nem ciúmes. Para amar, basta sentir.

 


Ninguém pode ser feliz não sendo livre. Mas liberdade não significa apenas não estar preso em algum lugar, ou a alguma pessoa, ou situação. Ser livre é não se aprisionar a nenhum sentimento ruim, como ambição, ganância, medo, vício, ódio, orgulho, vingança e tantos outros que só envenenam a alma. Aproveite o dia de hoje e inicie a sua jornada rumo à libertação. Desapegue desses sentimentos ultrapassados e abra espaço em seu coração para aqueles que realmente valem a pena. Você vai se sentir mais leve, feliz e em paz. E quando isso acontecer, aí sim, você poderá dizer que é realmente livre.

 

 


Não existe dor que não termine. Por mais que se pense assim, o sofrimento é passageiro. Pode ser que dure um momento, uma vida ou muitas vidas. Tudo vai depender da sua convicção, da sua vontade e daquilo que você acredita que merece. Não deixe para iniciar na próxima encarnação o que você já pode começar hoje. Comece a transformação das suas crenças e deixe ir o sofrimento. Você não precisa mais dele. Mas não basta acreditar nisso. É preciso sentir com o coração.

 


O ser humano precisa de paz. Os animais precisam de paz. O planeta precisa de paz. Se há tantas criaturas precisando de paz, por que é que ainda insistimos tanto na violência?  Porque a humanidade ainda prioriza o orgulho em detrimento da sabedoria, da razão e do amor.

 


O ciúme nada faz pelo ser humano além de intoxicar sua alma com o veneno da insegurança, do medo e da desconfiança: Insegurança para agir ou falar; medo de perder e desconfiança de que está sendo traído. Se só traz coisas ruins, melhor é lutar contra ele do que se entregar ao desespero e ao apego. Quem sente ciúme prende o outro e se prende a ele. E nada disso adianta, porque só permanece quem ama. Quem não ama, com ciúme ou sem ciúme, vai embora e não volta mais.

 


Brigar para quê? Quando você briga, queima energias que poderiam ser aproveitadas em coisas mais úteis. Você se desgasta, se irrita, se descabela, e o outro, muitas vezes, não está nem aí para você. Ele vai embora com a indiferença dele e você permanece preso ao mal-estar que a ira provoca. Se você consegue se controlar, a raiva passa, a vontade de agredir cede lugar à tranquilidade e você fica muito mais leve, satisfeito e feliz por ter feito a coisa certa.

 


Quando você estiver cansado, descanse. Quando estiver triste, chore. Se estiver de saco cheio, dê um tempo. Não se force a fazer o que não quer. Isso não é saudável. Não faça alguma coisa só porque o outro está pedindo. Quando fizer algo, faça por você. Isso não é ser egoísta; é respeitar e amar a si próprio. Não se esqueça de que a caridade começa por você, pois ninguém pode ajudar ao próximo se não souber ajudar a si mesmo.

 


Somos todos iguais. Somos todos um só. Somos todos a mesma humanidade.

 


Existem coisas boas que conquistamos até agora, mas também há aquelas que não servem para nada. As coisas boas, devemos guardar no coração, para que aconteçam sempre em nossas vidas. As que não foram lá assim tão boas, vamos conservá-las na lembrança como um alerta de que não devemos mais repeti-las. No final da nossa jornada aqui neste planeta, é só olhar para trás para ver o quanto percorremos pela trilha do bem e os desvios que tomamos no percurso. Tudo são experiências. Algumas, para repetirmos sempre, outras, para nunca mais.

 


Na Páscoa, que é o dia do renascimento, pense no que significa, exatamente, renascer. Só renasce quem morre, e todos nós já morremos um dia e renascemos em outras vidas. Para esse renascimento, uma longa espera ainda nos aguarda. O que devemos deixar morrer agora, para posteriormente vermos renascer, são os nossos sentimentos mais destrutivos. Quando a gente morre, só o corpo físico se vai. Quando um sentimento ruim morre, o que vai embora é a nossa ignorância, mas fica a experiência que transforma nossos atos em coisas boas para o futuro. O que renasce é um novo Eu, algo que transcende o aqui-agora e se transforma em lucro moral para toda a eternidade.

 


Nessa Páscoa, reflita no maior legado de Jesus para a humanidade. O que Jesus nos deixou ao morrer foi o amor que renasceu em nossos corações, pronto para se difundir pelo mundo e nos transformar em pessoas de bem. É esse o verdadeiro renascimento.

 


Existem pessoas que não vemos constantemente e que sempre serão nossas amigas. São pessoas que se ligaram a nós pelo afeto, e ligações assim constituídas são para sempre. Prescindem da presença física, da palavra, do toque, porque o amor é imaterial e não morre; não se ressente, não reclama a presença nem atenção. O amor é só o amor, é vibração de bem que traz alegria e confiança na vida. Todos nós temos, pelo menos, um amigo, ainda que pensemos estar sozinhos.

 


Em algum lugar que não vemos, existe alguém que cuida de nós. Em silêncio, sem alarde, imperceptível. Sua presença se faz sentir apenas em nossos corações, quando nos dispomos a perceber a sutileza da vida ao nosso redor. Ele nada nos cobra e tudo nos dá, mesmo quando pensamos que não fomos atendidos em nossos desejos. Não julga, não critica, não escolhe nem faz diferenças. Não exige rezas, nem cultos, nem templos de qualquer espécie. Muito menos dinheiro ou outra promessa de bem material. Só o que ele quer é que nos amemos. Pense nisso no dia de Páscoa. Para Jesus, somos todos iguais.

 


O mais importante na vida é conquistar a completa liberdade. Só quem é livre ama, respeita, compreende e, por sua vez, liberta.

 


Se você escolhe um caminho de violência, seja ela física, verbal ou moral, assuma o risco de perder o que de melhor a vida tem para lhe dar: uma consciência tranquila. Escolha a paz. A paz é para sempre.

 


Devemos deixar passar as coisas ruins. Coisas boas, devemos repetir sempre.  As melhores coisas da vida: amor, alegria, amizade, paz, saúde e liberdade. Nunca se canse de falar nelas. Quanto mais as repetirmos, mais elas se estabelecerão em nós como as únicas verdades pelas quais vale a pena lutar.

 


Não deixe que ninguém o convença de que você não é capaz. Apenas a sua inteligência pode dosar suas habilidades e potencialidades. Quem diz que você não pode tenta impor a você sua própria derrota. Mas se você se deixa convencer e desiste ou nem tenta, não culpe o outro. A responsabilidade é sua por não ter confiança em si mesmo.

 


Ninguém pode ser responsabilizado pelo que você faz. Dizer que agiu mal porque o outro mandou você fazer não é desculpa. Cada um só pode responder pelas suas próprias atitudes. O outro só tem influência sobre a sua vontade quando ela é igual ou semelhante à dele e lhe falta coragem ou segurança para agir. Assuma o controle sobre você e admita que a responsabilidade por qualquer coisa que você faça só pertence a você. Se não, fica muito fácil.

 


Aprenda o que é certo e errado para conduzir a sua vida, independentemente de quem estiver ao seu redor. Muitas vezes, pessoas só não fazem o errado porque estão sendo observadas. O fato de ninguém ver a sua atitude não a transforma em correta. Tirar uma moeda quando ninguém está olhando não é o mesmo que não tirar. Pode ser que nunca descubram o que você fez, mas você jamais conseguirá enganar a sua própria consciência. Dela, você nunca poderá se esconder.

 


Não há ninguém que não precise de afeto. Carinho não custa nada para dar nem para receber. Seja generoso e humilde. Aprenda a doar amor e a receber na mesma intensidade.

 


A maior ilusão que o ser humano pode alimentar é a do poder. Dela derivam todas as outras. O homem pensa que pode mandar, que pode ter, que pode ser, que pode fazer, que pode abusar, que pode infringir, que pode ser maior do que Deus… Mas nada disso ele pode de verdade, a não ser na fantasia de que a vida real está neste mundo. O que conta é o depois. Ao partir, todo mundo se iguala, porque o mundo espiritual não diferencia os que se julgam poderosos nem dão importância a suas exigências. Ali, só quem tem poder são as pessoas que souberam cultivar bons sentimentos em vida. Esse é o poder do amor, da amizade, da honestidade, da compreensão.

Por isso, é bom que se entenda: quanto mais alguém pensa que tem poder, na realidade, não possui poder algum, ao passo que os humildes são os que mais poder possuem, embora nem se deem conta disso.

 


Somos todos repetentes na escola da vida. Nascemos, vivemos, morremos e ainda não conseguimos aprender tudo. Muitas vezes, insistimos nas mesmas ilusões. Daí, termos que renascer. A cada nova encarnação, avançamos um pouco em nosso aprendizado. Uns aprendem mais rápido, outros são mais vagarosos. Mas nenhum de nós ainda conseguiu aprender tudo. No dia da nossa formatura moral e espiritual, partiremos deste mundo para, um dia, nos unirmos novamente a Deus.

 

Comentando, você enriquece o texto e partilha sua opinião com os próximos leitores.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s