Outubro/2012


O mistério da reflexão é o resultado que ela pode alcançar.

O perdão livra a alma dos grilhões pesados da revolta, do ódio e da vingança. Não se aprisione a ninguém. A quem lhe fez mal, deseje o bem, porque será essa a recompensa que a vida lhe dará. Não se desgaste, não se torne prisioneiro de sua consciência. Liberte-se. Perdoe.


Não existe trabalho humilhante. A humilhação está em não trabalhar, em furtar, enganar ou tornar-se devedor por sua própria inoperância. Não se envergonhe de ter um trabalho honesto e digno. Ao contrário, sinta orgulho de si mesmo, de sua força, de sua persistência em trilhar o caminho da honestidade. Antes de reclamar do que você faz, pense em quem não tem emprego e daria tudo para estar no seu lugar. Sinta-se grato à vida pela oportunidade de ganhar o seu dinheiro honestamente. Seja qual for o seu trabalho, respeite-o e valorize-o sempre. Não espere até perdê-lo para reconhecer a importância que ele possui.


Cada um deve cuidar da sua vida e olhar para dentro de si mesmo. O tempo que se perde tomando conta do próximo poderia ser mais bem aproveitado se direcionado para o autocontrole e a autodisciplina. Não se preocupe com o que o outro faz ou deixa de fazer. Mire-se nos bons exemplos, mas não critique os maus. Saiba observar sem julgamentos, afaste-se do que não lhe serve e invista em você mesmo. Agindo assim, o lucro será todo seu.


O bom da vida é saber que ela nunca termina, mas continua em uma dimensão de amor para aqueles que, neste mundo, já aprenderam o valor de amar.


Somos um somatório de fatores. Na nossa vida, temos questões de todas as ordens para resolver. São problemas afetivos, pessoais, financeiros, de saúde, espirituais, etc. Todo mundo passa por isso, faz parte da nossa natureza. E eu, como escritora espírita e procuradora do trabalho, não consigo vivenciar o lado jurídico sem levar em conta a espiritualidade que nos guia. Pensando nisso, de vez em quando, vou postar algumas dicas trabalhistas aqui. Vale para todos, para esclarecimento e reflexão sobre como agir. Espero que, com isso, conhecendo seus direitos e deveres, as pessoas pensem um pouco mais antes de enganar, mentir, lesar ou simplesmente tentar se dar bem.


Não existe quem só possua direitos ou quem apenas tenha deveres. Direitos e deveres são contrapontos na mesma linha. A ideia que se passa de que patrões têm apenas obrigações e empregados, apenas direitos é irreal e injusta. A lei não elege favoritos; busca equilibrar ambas as partes em qualquer relação jurídica. Por isso, seja de que lado você estiver, procure agir com correção e dignidade. Não abuse dos seus direitos nem negligencie seus deveres. Seja honesto, justo, leal. Não se julgue melhor nem pense que está por cima. Não caia na ilusão de que você, empregado, é que pode tudo nem subestime seu empregador. Da mesma forma, você, que é empregador, não sonegue os benefícios de seus empregados, mas também não acredite que é apenas devedor. Se patrões e trabalhadores pautarem suas condutas pelo respeito às leis, à pessoa humana e à igualdade, o mundo deixará de ter infratores e lesados. Empregados e empregadores, acima de tudo, são pessoas. Respeite cada um como gostaria de ser respeitado.


Professores, não permitam que o descaso de alguns diminua ou apague o mérito de seu trabalho. Todo mestre é obreiro incansável de Deus, porque educar e ensinar é tarefa que poucos conseguem levar avante com dignidade e respeito. Orgulhe-se da sua missão, porque ela, além de nobre, é sagrada, e é dela que depende a construção de um mundo melhor.


O melhor presente que podemos deixar aos nosso filhos é o exemplo da nossa honestidade. Nada disso de querer nos darmos bem. Quem pensa em se dar bem atropela o direito alheio e passa por cima da própria dignidade. E não é porque não estamos sendo observados que podemos cometer nossos deslizes. Deus tudo vê e, além dele, nossa consciência é implacável julgadora dos nossos próprios atos. Ser honesto é patrimônio inalienável da alma que já amadureceu. Faça da sua honestidade o maior exemplo para os seus filhos.


A melhor regra que o ser humano pode seguir é a do bom-senso. Quem já compreendeu isso não perde o respeito, a dignidade nem a moral.


Problemas, todo mundo tem. Soluções, somente aqueles que usam o intelecto com sabedoria, discernimento e compreensão.


Quando se defrontar com pessoas agressivas, irritadiças, mal-humoradas, não entre na sintonia delas. Ofereça-lhes o seu silêncio, porque só silencia quem compreende o desequilíbrio alheio e não faz nenhum julgamento a respeito dele. Calar simplesmente não adianta, porque calar é engolir, mesmo tendo vontade de revidar. Sinta a sutil diferença. Não se cale. Silencie.


A vida tem resposta para todos os nossos questionamentos. Muitas vezes não percebemos isso porque estamos tão presos naquilo que gostaríamos de ouvir que nem chegamos a considerar o que vai contra nossos desejos. Se nos colocarmos disponíveis para receber o que é melhor para nós, e não o que queremos, poderemos ouvir as respostas que a vida sempre nos dá.


Não descarregue as suas frustrações no trânsito nem dê asas ao orgulho. Muitos acidentes e brigas acontecem pelo orgulho de não ceder e de querer ser o primeiro. Ninguém precisa disso. O trânsito pode ser pacífico, dependendo da paz que derramarmos nele. A natureza do trânsito depende muito mais das pessoas do que da quantidade de carros. Muitos carros e pouca tolerância não produzem bons resultados. Quanto mais irritados ficarmos, mais irritação magnetizaremos. Não é nada fácil dirigir por aí, mas, se cada um fizer isso com educação e respeito, os problemas irão diminuir. Faça a sua parte: respeite as leis de trânsito, os demais motoristas e a sua própria vida.


Se você está triste por algum motivo, chore. Deixe que as lágrimas humanizem sua alma a tal ponto que você sinta o alívio de não guardar mais dissabores dentro de si. Depois de chorar bastante, enxugue os olhos, lave o rosto, olhe-se no espelho e sorria para você mesmo. Reconheça que a dor foi necessária, ajudou você a compreender um pouco mais do mundo, agradeça a ela e, então, deixe-a ir. Depois de esgotada em suas lágrimas, você não precisa mais dela. Consumida a tristeza pelo pranto, o que resta é a esperança. Não precisa fingir que não ficou triste, basta esperar que a tristeza se acabe. E não se preocupe: em algum momento, a tristeza vem para todo mundo, mas pode partir da maneira como chegou. Tudo vai depender da forma como você encara a vida: com derrotismo ou confiança. Escolha um dos dois e dê à tristeza o rumo que ela merece seguir.


Não existem verdades absolutas, a não ser as que pertencem a Deus. Só a arrogância do homem o faz acreditar que as verdades que conhece são as únicas que existem, pois o homem, que nada mais é do que uma ínfima parte da criação de Deus, se julga a mais importante de todas as coisas. Para Deus, tudo é importante, porque Deus não conhece diferenças. Pense nisso na hora de afirmar sua verdade. O que é certo para você pode não ser para o outro. O que vale para o outro pode não ter valor algum para você. E onde está a razão nisso tudo? A razão está com aquele que tem humildade suficiente para reconhecer que nada sabe e tudo pode ser relativo.


O único destino inevitável, ao qual ninguém pode fugir, é a morte. Todo o resto é negociável e passível de modificações.


Dormir é como partir, só que essa partida tem volta. Boa partida a todos e um ótimo retorno ao mundo físico.

E não se esqueçam de refletir na hora de votar.


O que recebemos da vida segue o exemplo que damos da nossa própria vida. Seja um bom exemplo para o mundo, e o bem será sua maior recompensa.


Os filhos são o presente de Deus para aqueles que têm dentro de si enorme potencial de amar. Presentes não devem ser recusados, mas acolhidos com respeito, carinho e gratidão. Quem traz um filho à vida e ao mundo faz dele sua maior chance de ser uma pessoa integralmente feliz.


Quem não perdoa mata em si mesmo a esperança da libertação.

Só quem sabe perdoar é, verdadeiramente, livre.


A beleza da alma reflete-se no semblante das pessoas. Essa não é a beleza física, que, muitas vezes, trai o olhar com falsas aparências. Essa é a beleza das feições serenas, amigas, verdadeiras, que nunca enganam e estão sempre prontas a semear paz, alegria, amor e compreensão.


Ninguém precisa ser sempre forte para sobreviver. A fragilidade, muitas vezes, desperta a sensibilidade da alma e a nos torna mais humanos em nossas emoções. Não se violente tentando demonstrar uma fortaleza que, lá no fundo, está prestes a ruir. Respeite-se e assuma seus momentos de fragilidade, pois só assim você conseguirá entendê-los e superá-los, tornando-os mais fortes a cada dia.


Ninguém precisa vestir a máscara do bonzinho para conquistar afeto. Basta ser verdadeiro sincero, honesto. Ser bom não é o mesmo que ser bonzinho. Quem é bom é naturalmente assim, ao passo que o bonzinho, muitas vezes, se violenta para agradar o outro. Não faça isso. Agrade a si mesmo em primeiro lugar e só depois pense em agradar mais alguém. Seja bom com você porque, se você não for, dificilmente alguém será. Seja o que você é, porque a natureza de quem é bom não atrai desgostos nem frustração, nem revolta. A máscara do bonzinho, um dia, cai, mas a fisionomia de quem é bom permanece inalterada. Deixe o bonzinho de lado e procure ser sempre bom. Sua espontaneidade o fará mais feliz, mais satisfeito e o tornará uma pessoa muito mais agradável e simpática a todos.


Faça sempre o bem, independentemente de quem estiver diante de você. Não estamos aqui para julgar, mas para nos ajudar. Fazendo o bem, você magnetizará apenas coisas boas, deixando as ruins para trás. Deixe a avaliação de merecimento de lado. Todos os que estão ao seu alcance merecem, caso contrário, não se aproximariam de você. Ao fazer o bem, o primeiro a se beneficiar será você.


Não reaja à violência de forma a alimentá-la. Ao invés de reagir, adote uma nova atitude: aja com respeito e amor, impedindo a onda de violência de se propagar. Reagindo, você se envolve na mesma sintonia de quem o agride. Agindo de outra forma, você é capaz de romper os elos da energia agressora e transformá-la em paz. Não reaja. Aja.


As leis não são criadas para causar transtornos à vida das pessoas, mas para assegurar uma convivência pacífica e harmoniosa em sociedade. Sem as leis, nossa vida viraria um caos. Dia chegará em que, saciados de respeito e bom-senso, poderemos abrir mão de toda legislação, porque o ser humano, sozinho, terá condições de avaliar o resultado de suas condutas e agir conforme sua sabedoria e dignidade. Por enquanto, não é assim. Por isso, diariamente, exercite o respeito e o bom-senso. Obedeça as leis do nosso país, desde as mais simples, como não pisar na grama, até as mais complexas, tipo, declarar imposto de renda. Você pode até não concordar com elas, mas é o que merecemos. Nosso grupo social deve avançar junto e, para isso, a obediência é o caminho. Afinal, vivemos numa democracia, onde as leis não infringem os direitos fundamentais de ninguém. Não é assim é tão difícil obedecê-las. Somente respeitando as leis é que estaremos em condições de modificá-las. Evoluindo nossa sociedade, as normas se tornarão mais justas para, posteriormente, ser abolidas de vez. Vamos fazer por onde. Respeite as leis.

Comentando, você enriquece o texto e partilha sua opinião com os próximos leitores.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s