Agosto/2012


O passar do tempo favorece a reflexão.

O tempo não é nosso inimigo. Pode parecer implacável, mas é só porque ainda não nos acostumamos a ver o passar do tempo pelo seu lado mais positivo, que é o de acúmulo de experiências. O tempo não envelhece, amadurece.


Um dos maiores vícios da humanidade é o de falar mal da vida alheia. A maledicência é um mal a ser combatido, porque, dependendo da energia daquele que é seu alvo, pode destruir uma vida. Por mais que cada um magnetize o que está em sintonia com seus próprios pensamentos e sentimentos, não queremos ser instrumento da desgraça alheia, queremos? Combater esse vício tão daninho é uma questão de compreensão e exercício. Se todos se conscientizarem de que não devem falar mal de ninguém, aos poucos, irão dominando esse hábito e, a cada vez que a vontade de fofocar vier, vão se conter e silenciar.


Cada um está vivendo a sua vida de acordo com o que precisa. Ninguém tem que viver as mesmas coisas que o outro, pois as necessidades são diferentes. Por isso, o que é fácil para uns pode não ser para outros, e vice-versa. Não adianta nada criticar o próximo nem recriminá-lo por suas decisões. Elas são tomadas na proporção da maturidade, compreensão e desejos de cada um. Não há certo nem errado, mas apenas experiências de vida.


Nunca devemos nos esquecer de que somos todos um. Quando entendemos isso, nos tornamos mais compreensivos, amorosos e amigos, porque sabemos que o outro é apenas o reflexo de nós mesmos. Deus concedeu a cada um de nós uma centelha, para que, descendo até o mundo da matéria, possa retornar um dia ao Todo que a criou. Quando esse dia chegar, quando todos voltarmos para a nossa casa, não precisaremos mais da ilusão de separatismo que nos faz crer na individualidade da alma. Isso tudo é transitório porque, em essência, somos todos um só.


A vida é cheia de mistérios, mas poucos são indecifráveis. Desvendar cada um desses mistérios é tarefa praticamente impossível em apenas uma existência. É por isso que nascemos várias vezes, para que tenhamos tempo de revelar à nossa alma os segredos da nossa existência. À medida que fazemos isso, libertamos o nosso espírito, ganhamos luz e nos aproximamos cada vez mais de Deus.


Não existem verdades absolutas. Às vezes, nos decepcionamos com algo simplesmente porque nos fechamos no que pensamos ser a nossa verdade e não damos a nós mesmos a oportunidade de ver que as coisas podem ser diferentes, que há outros caminhos que conduzem ao mesmo lugar. Quem detém o privilégio de conhecer todas as coisas senão Deus? Quem, além de Deus, tem amor suficiente para compreender nossa busca de uma verdade cuja face nem podemos ainda vislumbrar? Quem pode nos dizer o que é certo e errado além daquele que nos criou? O certo e o errado são diretamente proporcionais à nossa capacidade de compreensão das coisas e de flexibilização das verdades que julgamos absolutas. Aprendemos a olhar o mundo através de uma mesma janela, quando há tantas outras que podem desvendar paisagens tão ou mais bonitas. Basta apenas que tenhamos coragem e humildade para abri-las, deixando de lado o orgulho que nos faz crer na ilusão de que a alma do mundo é aquela que nos acostumamos a ver com nosso olhar estreito. Sejamos dignos, sejamos humildes, avaliemos as coisas com a mente aberta, como o universo, que não limita as estrelas àquelas que nossos olhos conseguem ver.


A morte não é o fim… nem o começo. É apenas a continuidade de uma jornada cujo início se perdeu no tempo, mas que há de terminar quando estivermos prontos para retornar ao Todo do qual nos separamos momentaneamente. O fim e o princípio são um só: Deus.


Não dê a ninguém o poder de magoá-lo. O outro só nos machuca na medida em que assim o permitimos. Seja forte, acredite em você mesmo, dê valor a si próprio, compreenda as imperfeições humanas, pois você também as tem. O poder de se deixar ou não atingir pelas atitudes alheias é seu. Escolha fazer desse poder uma arma sutil a favor do seu bem-estar, da sua paz e da sua elevação moral. Não receba o que não é seu, afaste o mal que não lhe pertence devolvendo-o a quem o mandou em forma de compreensão e amor. Fazendo assim, ninguém mais terá o poder de atingir você.


Não estamos sozinhos no mundo nem somos os únicos seres da criação. Estamos todos interligados, somos feitos da mesma matéria, dividimos a mesma centelha divina. Somos um só, somos deuses à espera do reconhecimento de nossa própria divindade. Para isso, precisamos crer em nossa força interior, em nosso potencial divino, em nossa capacidade de construir coisas boas, de sermos iluminados. Somos luz, energia condensada, fagulhas de uma mesma fonte solar. Acostumemo-nos a ver no outro o espelho de nós mesmos, a fim de que consigamos, juntos, elevar a humanidade ao merecido patamar de amor para o qual fomos todos feitos. Amemo-nos e respeitemo-nos uns aos outros, porque, assim como o outro é o nosso próximo, nós também somos o próximo para mais alguém.


Poucos são os que passam pela vida sem sofrimento, e menos ainda os que conseguem aprender com ele.


Nosso corpo é perfeito para desempenhar as experiências que nosso espírito escolheu para viver na Terra. Mesmo na imperfeição de alguns, ele é perfeito, porque as imperfeições nada mais são do que a natureza agindo para restabelecer o equilíbrio que, um dia, se perdeu. Por isso é que cada corpo atende às necessidades do espírito que o escolheu para morada. Cuide bem do seu corpo, mas sem excessos, e não permita que ele se transforme no principal objetivo da sua vida. O corpo é ferramenta, o espírito é ação. O corpo é instrumento do espírito, não o contrário. Você não se identifica com o seu corpo, você é muito mais do que isso. Quando a gente morre, o corpo retorna para a terra, mas o espírito permanece. O corpo é efêmero, o espírito, eterno. Valorize o corpo, mas não priorize as suas necessidades. Dê prioridade às necessidades do espírito, que são os frutos que se colhe do amor. Ao corpo, dê o tratamento que ele merece, seja bom para ele, cuide dele e respeite-o como receptáculo da vida. O corpo é a vida encarnada, mas não a verdadeira vida. Essa só pertence ao espírito.


Não fique triste se alguém o magoou. Tudo o que acontece é resultado da lei de atração, cada um magnetiza o que está em sintonia com seus pensamentos e sentimentos. Isso não é motivo para você se sentir culpado nem vítima. Todo mundo atrai pessoas difíceis, porque é próprio do ser humano pensar e sentir coisas ruins, nem que seja de vez em quando. Para evitar esse magnetismo, cuide de equilibrar o que pensa e sente. À medida que você for modificando o teor da sua vibração, vai afastando pessoas negativas e atraindo aquelas que só lhe farão bem.


Na natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma (Lei de Lavoisier). Pense, então, que os seus sentimentos não são novidade para ninguém. Todo mundo sente as mesmas coisas, sentimentos existem desde que o ser humano pisou a Terra pela primeira vez, ainda que em suas formas mais primitivas. Desde o início das eras até os dias de hoje, o homem foi modificando o que sente para adquirir mais equilíbrio e maturidade, alavancando o progresso. Os sentimentos não se esgotam quando você os sente nem desaparecem quando você os vence. Eles apenas se transformam no oposto do que você sentia. Quando se domina a raiva, o coração enche-se de serenidade. Dominado o ódio, vibra o amor. Ao domínio do desespero, sucede a quietude da paz… E mesmo que você não consiga modificar o teor do que sente, ainda assim, o seu sentimento se transforma em energia que é magnetizada por energias afins. Quando sentir algo de bom ou de ruim, pense nisso. A vibração do que você sente nunca se perde, mas cria uma forma que é lançada na atmosfera do planeta, poluindo ou purificando o ar que todos nós respiramos. Ajude na transformação dessas energias tentando vencer-se a si mesmo, dominando os maus pensamentos para que os bons sejam maioria dentro e fora de você.


Aos pais e a todos aqueles que, em algum momento da vida, ocuparam e ocupam esse lugar tão sagrado, como avôs, tios, irmãos, padrinhos, padrastos, sacerdotes, amigos e mesmo algumas mulheres, um beijo especial nesse dia que é não apenas de vocês, mas de todos nós, que tivemos a oportunidade de viver juntos momentos tão felizes e importantes.


Você, que é pai, sinta que esse é o dia do reconhecimento ao seu esforço, amor e dedicação. Sinta que este é o momento de colher parte dos frutos que você plantou naqueles que Deus pôs sob sua guarda. Saiba que todo o seu trabalho jamais será em vão, porque os filhos que você criou com o seu exemplo de honestidade e dignidade serão como você, no presente e no futuro, e os que não puderam seguir-lhe os passos da retidão guardam no íntimo a semente que você plantou e que um dia, com certeza, irá germinar. Receba o abraço de todos os filhos do mundo, porque, a exemplo de Deus, que é pai de todos, você tem a capacidade de acolher e orientar qualquer pessoa que necessite do seu auxílio. Valorize o seu papel na vida e agradeça a oportunidade de contribuir na geração e criação dos novos seres que, um dia, governarão este planeta. Seja o melhor de tudo, seja você, seja pai para sempre. Parabéns!


Sempre que for chamado pela vida para o trabalho útil, não se negue. Não pense que nada pode fazer ou que tudo já foi feito. Todo mundo tem algo a oferecer, nem que seja sua boa vontade e seu amor. Rezar não custa nada, não faz mal, não atrapalha. Então, se você realmente acredita que o auxílio está fora de suas mãos, lembre-se de que o seu pensamento é poderoso e capaz de construir muitas coisas. Reze. E se puder fazer mais, faça. Cada um dá o que tem, por isso, procure alimentar o seu espírito com sentimentos dignos e iluminados, para que a sua doação seja também de muita luz.


De tão acostumados a olhar o lado feio do mundo, nossos olhos nem sempre percebem a beleza da vida ao nosso redor, esforçando-se para nos trazer a melhor, a mais bonita, a mais alegre de todas as coisas, que é a própria vida. Não há vida que seja miserável ou inútil, simplesmente porque é vida, o dom supremo da criação, para que possamos reencontrar a divindade através de experiências que nos fazem crescer. Não desperdice a sua vida exaltando o lado negro do mundo. Valorize as coisas boas, ainda que pequenas, porque são essas coisas que realmente importam e lhe farão ver que a felicidade existe para quem souber onde procurar.


Perder a esperança é perder a fé na vida. Isso não significa alimentar ilusões. Esperar é confiar, não se iludir. Quem tem esperança sabe que não existe o fim. O que há são transposições de estados, mundos, energias… Quando se perde uma coisa, outra vem e a substitui, mesmo que não consigamos, de imediato, perceber que a substituição foi para melhor. É que a nossa visão estreita, muitas vezes, não nos permite ver além do aqui e agora. Temos que confiar sempre. A vida trabalha para o nosso melhor, porque a vida é dádiva de Deus, e Deus nada faz que não seja para o nosso bem.


Todas as pessoas são iluminadas. O que acontece é que muitas, cegos pelas ilusões do mundo, não conseguem olhar para dentro de si e buscar sua luz própria. Preferem adormecer na escuridão e contar com a claridade exterior que, muitas vezes, de tão fria, desaponta, ao invés de aquecer; cega, ao invés de clarear. Mas a iluminação de cada um está lá, em algum recanto oculto do Ser. Não acredite nas sombras como a força motora do mundo. O que move a todos é a centelha viva que vem de Deus. Busque a sua dentro de você mesmo e sinta-se envolver pela chama do amor que existe no coração de cada homem, cada mulher, cada ser que habita a Terra.


Bondade não é favor, é natureza. Quem é naturalmente bom não se obriga a ter compaixão nem amor. Tem, simplesmente, porque é assim que vibra em seu interior. Ame e respeite a vida. Seja uma pessoa boa por natureza. O maior beneficiado será você.


Poucas coisas valem mais do que a alegria. Podemos perder tudo, menos a alegria de viver. Sem ela, a vida não passa de uma sucessão de dias e noites. Com ela, cada dia é sol, e cada noite são estrelas. A alegria dá colorido aos nossos momentos, harmoniza nosso espírito, empresta sonoridade aos sons do mundo. Diante das dificuldades, deixe a tristeza ocupar o seu espaço, mas que isso não seja para sempre. A tristeza passa, a alegria fica até depois dessa vida. Bem se vê, portanto, que a alegria vale muito mais.


Ninguém pode ser responsável pela transformação do outro. Somente a ele cabe decidir a hora de empreender sua mudança interior. Aos demais, resta aconselhar e instruir, mas nada se pode fazer se o outro teima em persistir no caminho da ilusão. Cada um tem o seu momento de amadurecer, e não adianta tentar forçar a natureza. Em seu ritmo próprio, todos chegarão ao mesmo lugar, uns mais depressa, outros mais vagarosamente. Ajudar os que ficaram para trás é um gesto de amor, mas isso não significa interferir. Com a interferência, a modificação do outro acaba sendo superficial e artificial. Somente com o esforço próprio é que acontece a verdadeira transformação.


O resultado das nossas ações é sempre sentido por nós. O bem ou mal que fazemos ao próximo reflete primeiro em nós mesmos, atraindo energias boas ou ruins, magnetizando situações agradáveis ou dolorosas para nossas vidas. Antes de tomarmos qualquer atitude, pensemos se os efeitos daí advindos seriam bons para nós. Se a resposta for negativa, melhor é nada fazer.

Comentando, você enriquece o texto e partilha sua opinião com os próximos leitores.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s